24 de mar de 2014

Falando Sobre a Música "Ouro de Tolo" de Raul Seixas

Fala Fera!

Hoje vamos falar um pouco sobre a música "Ouro de Tolo" do grande Raul Seixas.
 Foto de Raul Seixas Essa música foi lançada no disco "Krig-ha, Bandolo!" de 1973. Em 2009, foi escolhida pela revista Rolling Stone a 16ª melhor na lista das 100 maiores músicas brasileiras!

Essa música tem uma letra riquíssima! É claramente uma crítica a vida da classe média da década de 70. O nome da música faz referência as falsas promessas dos alquimistas da Idade Média, que juravam poder produzir ouro. Esse falso ouro era chamado de Ouro de Tolo.

Raul contesta muito a "vidinha" pacata do cidadão da classe média. Logo no começo da música ele diz:

"Eu devia estar contente / Porque eu tenho um emprego / Sou um dito cidadão respeitável / E ganho quatro mil cruzeiros por mês


Eu devia agradecer ao Senhor / Por ter tido sucesso / Na vida como artista / Eu devia estar feliz / Porque consegui comprar um Corcel 73"


Podemos perceber claramente que essa letra ainda é muito atual, pois a sociedade ainda é assim. Podemos ver que os "cidadãos respeitáveis" continuam agindo da mesma forma, sem se importar muito com o que acontece ao seu redor, mas ao mesmo tempo não conseguindo se sentir feliz por completo.

Eu mesmo já passei muitas vezes por isso. E hoje chego a conclusão: Como é tolo viver essas falsas ilusões de "sucesso" e de "ser bem sucedido" num emprego. Como é tolo ficar correndo atrás de dinheiro, sem mutias vezes parar pra pensar em algumas questões como: "Por que eu preciso ficar correndo atrás do dinheiro? O que isso vai me trazer? Eu estou feliz fazendo isso? Será que vou ficar feliz se conseguir isso?".

"Eu devia estar alegre / E satisfeito / Por morar em Ipanema / Depois de ter passado fome / Por dois anos / Aqui na Cidade Maravilhosa
Ah! Eu devia estar sorrindo / E orgulhoso / Por ter finalmente vencido na vida / Mas eu acho isso uma grande piada / E um tanto quanto perigosa
Eu devia estar contente / Por ter conseguido / Tudo o que eu quis / Mas confesso abestalhado / Que eu estou decepcionado"
Percebam a crítica do Raul ao modo de vida de todo mundo. Vejam quando ele diz: "Eu devia estar sorrindo e orgulhoso por ter finalmente vencido na vida".
O que é "vencer na vida" para esse tipo de pessoa? Vencer na vida para ela, é morar em Ipanema. É ter o carro do ano. É ter um emprego.
Mas veja que a pessoa não está feliz mesmo com tudo isso. Por que isso tudo faz parte de um mundo totalmente material, e nem sempre nossa felicidade plena está no mundo material.
Todos sonham em alcançar esses bens, mas as pessoas que chegam lá, nem sempre estão felizes. Eles percebem que tudo isso é muito vazio.
"E você ainda acredita / Que é um doutor / Padre ou policial / Que está contribuindo / Com sua parte / Para o nosso belo / Quadro social"
Essa parte é muito boa. As pessoas que chegam nesse patamar, esperam que tudo possa satisfaze-las, incluindo doutores, policiais, padres...
"Eu é que não me sento / No trono de um apartamento / Com a boca escancarada / Cheia de dentes / Esperando a morte chegar"
As vezes, esse é o ponto em que muitas pessoas da classe média chegam. Ficam esperando a morte chegar, sem mais esperanças de mudanças, solitárias e com um vazio gigantesco no peito.


Espero que tenha gostado. Um forte abraço e Flw fera!

Conheça a obra desse grande artista através de seus discos! Compre e nos ajude com uma comissão através de nosso link do Submarino!