12 de ago de 2013

Falando Sobre a Música "Índios"

Fala feras!
Hoje vamos ouvir uma das músicas mais famosas da banda Legião Urbana: Índios!

Imagem de Chubby Checker
Índios é uma música composta pelo Renato Russo (o que aparece do lado esquerdo da foto) e que foi lançada no disco “Dois” de 1986.


Essa música chama atenção primeiramente, pelos versos que se repetem: “Quem me dera ao menos um vez“, mostrando como o “narrador” gostaria que PELO MENOS UMA VEZ tal coisa fosse possível. Outra coisa que chama atenção também, é que o “narrador” da história é um índio, e ele conta sua história aqui no Brasil. Logo nos primeiros versos, Renato faz uma crítica aos primeiros colonizadores do Brasil, pois estes estavam enganando os índios com uma falsa amizade:

Quem me dera ao menos uma vez / Ter de volta todo o ouro que entreguei a quem / Conseguiu me convencer que era prova de amizade / Se alguém levasse embora até o que eu não tinha.
Quem me dera ao menos uma vez / Esquecer que acreditei que era por brincadeira / Que se cortava sempre um pano-de-chão / De linho nobre e pura seda.

Sem saber exatamente o que estavam fazendo, os índios estavam enriquecendo os Portugueses, e aos poucos entregando tudo o que eles tinham e o que lhes era de direto.

Renato também critica o comportamento de pessoas materialistas/consumistas (um dos grandes males da humanidade dos últimos anos
na minha opinião de merda)

Quem me dera ao menos uma vez / Provar que quem tem mais do que precisa ter / Quase sempre se convence que não tem o bastante / Fala demais por não ter nada a dizer.


E as criticas não param por aí. Até o comportamento da Igreja da época é questionado nos versos:

Quem me dera ao menos uma vez / Entender como um só Deus ao mesmo tempo é três / E esse mesmo Deus foi morto por vocês / Sua maldade, então, deixaram Deus tão triste.

Se referindo aí, à forma como a Igreja “catequizou” os índios da época impondo sua cultura sobre eles (uma das formas de colonização da época).

Chegando ao fim da música, Renato ainda passa um sentimento Utópico de que um dia quem sabe, TUDO possa ser perfeito e que as pessoas vivam em paz e harmonia:

Quem me dera ao menos uma vez / Acreditar por um instante em tudo que existe / E acreditar que o mundo é perfeito / E que todas as pessoas são felizes.

Enfim, na minha opinião essa é uma das obras primas desse grande compositor que foi Renato Russo.

Confiram essa música, na gravação do DVD acústico da banda (a letra está abaixo do vídeo):
Índios
Legião Urbana

Quem me dera ao menos uma vez
Ter de volta todo o ouro que entreguei a quem
Conseguiu me convencer que era prova de amizade
Se alguém levasse embora até o que eu não tinha.

Quem me dera ao menos uma vez
Esquecer que acreditei que era por brincadeira
Que se cortava sempre um pano-de-chão
De linho nobre e pura seda.

Quem me dera ao menos uma vez
Explicar o que ninguém consegue entender
Que o que aconteceu ainda está por vir
E o futuro não é mais como era antigamente.

Quem me dera ao menos uma vez
Provar que quem tem mais do que precisa ter
Quase sempre se convence que não tem o bastante
Fala demais por não ter nada a dizer.

Quem me dera ao menos uma vez
Que o mais simples fosse visto
Como o mais importante
Mas nos deram espelhos e vimos um mundo doente.

Quem me dera ao menos uma vez
Entender como um só Deus ao mesmo tempo é três
E esse mesmo Deus foi morto por vocês
Sua maldade, então, deixaram Deus tão triste.

Eu quis o perigo e até sangrei sozinho
Entenda
Assim pude trazer você de volta pra mim
Quando descobri que é sempre só você
Que me entende do iní­cio ao fim.

E é só você que tem a cura pro meu vício
De insistir nessa saudade que eu sinto
De tudo que eu ainda não vi.

Quem me dera ao menos uma vez
Acreditar por um instante em tudo que existe
E acreditar que o mundo é perfeito
E que todas as pessoas são felizes.

Quem me dera ao menos uma vez
Fazer com que o mundo saiba que seu nome
Está em tudo e mesmo assim
Ninguém lhe diz ao menos, obrigado.

Quem me dera ao menos uma vez
Como a mais bela tribo
Dos mais belos índios
Não ser atacado por ser inocente.

Eu quis o perigo e até sangrei sozinho
Entenda
Assim pude trazer você de volta pra mim
Quando descobri que é sempre só você
Que me entende do início ao fim.

E é só você que tem a cura pro meu vício
De insistir nessa saudade que eu sinto
De tudo que eu ainda não vi.